segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Startup Entrevista - PlataformaTec

Dessa vez o entrevistado foi Marcelo Park, um dos fundadores da PlataformaTec – empresa de engenharia de softwares e aplicativos especializada em Rails e metodologias ágeis (Agile Methodology).


O hoje são 4 sócios, que se conheceram quando cursavam engenharia na Poli-USP, que anteriormente já tinham experimentado montar uma startup de social bookmarking, porém como nem sempre é fácil sobreviver apenas com bootstrapping, acabaram por dar um fim ao negócio depois de ficarem sem dinheiro, tanto na conta da empresa quanto na pessoal. O que mostra como é difícil ter uma vida separada do seu próprio negócio quando se empreende em startups.

Mas, em 2009, perceberam uma oportunidade com a ascendente adoção de Rails e metodologias ágeis e uma grande necessidade do mercado, não apenas por desenvolvedores, mas principalmente por verdadeiros consultores nessa área de tecnologia. Hoje, no terceiro ano de atividade da PlataformaTec, Marcelo e seus sócios já começam a ver retorno em todo o trabalho e investimento que o negócio demandou.

A PlataformaTec começou seu trabalho no início do ano de 2009, mas no meio do ano de 2010 começaram fechar alguns projetos para clientes grandes. Empresas como o IG, que pediu para fazer um POC (Proof of Concept – Prova de Conceito) de Rails e gostaram muito, principalmente devido ao tempo que levou para desenvolver o projeto, e JBS Friboi que já contratou os serviços da PlataformaTec. Conseqüentemente tiveram que contratar mais alguns funcionários para ajudar e passaram a trabalhar temporariamente num escritório compartilhado, até que no final de 2010 obtivessem sua autonomia e alugassem o próprio escritório.

Serviço “padrão” entregue de forma inovadora

Vale ressaltar, que eles definiram claramente seu objetivo de obter como clientes empresas que queiram INVESTIR no desenvolvimento de produtos que querem lançar no mercado, pois empresas que precisam desenvolver softwares para uso interno acabam tratando esse gasto como um custo e não como um investimento.

Além disso, o objetivo não é simplesmente ser um desenvolvedor, mas um coach para os clientes, dando consultoria e treinamento para os funcionários daquela empresa, podendo até mesmo deslocar sua própria equipe para a empresa cliente e ajudar na formação do time desta empresa.

Apesar do trabalho de desenvolvimento de software ser um tanto quanto ordinário, ou seja, comum no mercado, Marcelo e os outros sócios optaram por trabalhar exclusivamente com o desenvolvimento de produtos, elaborando uma estratégia e até mesmo com o auxilio do Business Model Canvas para que o produto seja o mais adequado para o propósito do cliente e as estratégias de sua empresa, fazendo com que seus serviços ultrapassem o de desenvolvedor e se envolva na parte estratégica dos clientes.

Para as startups que não tem um desenvolvedor ou uma equipe de desenvolvimento, mas precisam elaborar um produto o mais rápido possível, eles oferecem um instrutor para acompanhar os processos diários do cliente, ajudando no desenvolvimento e melhorando a entrega dos projetos.

Apesar de tudo, Marcelo ainda enxerga como um grande desafio, não só para eles, mas para outras empresas de serviços, a capacidade de escalar o negócio, ou seja, elevar sua produção/receita sem elevar proporcionalmente seu custo.

Desenvolvendo e motivando a equipe

Gostei muito da proposta de profissionalização dos funcionários com o evento que eles chamam de Hacking Tuesdays, que como o próprio nome indica acontece toda terça-feira, sendo uma noite em que os próprios funcionários identificam suas necessidades e se mobilizam para dar palestras uns para os outros sobre os assuntos e aperfeiçoar o conhecimento da equipe de forma autônoma.

Além disso, é dada autonomia aos times, para que a cada dois meses se reorganizem para deslocar os membros entre os projetos, para que o trabalho não fique cansativo. E a utilização de um orçamento para eventos ou cursos para se desenvolverem melhor é gerenciado pela própria equipe. Assim, os sócios do PlataformaTec conseguem manter uma cultura onde as pessoas agem com autonomia e tem uma busca constante pela profissionalização de seus conhecimentos.

Até mesmo na contratação eles demonstram uma maturidade muito grande em suas escolhas, pois ao invés de contratar pessoas boas que possam se adaptar a cultura da empresa, eles apenas contratam pessoas que já compartilhem em sua própria vida da cultura que eles pregam lá dentro.

Sugestão de Leitura para empreendedores

Uma sugestão para mexer com o senso analítico sobre os clientes. A dica de leitura de empreendedorismo dessa vez ficou sendo o livro de Dan Ariely, Predictably Irrational: The Hidden Forces That Shape OurDecisions ou já na sua versão em português "Previsivelmente Irracional: Como as situações do dia-a-dia influenciam as nossas decisões".

Este livro relata estudos comportamentais bem interessantes e extremamente úteis em decisões como precificação de produtos/serviços, principalmente com o famoso caso do "zero price effect" (efeito do preço zero) de que um produto é procurado não pelo menor preço, mas pela menor sensação de perda que o consumidor pode ter. Por exemplo, ao escolher entre uma trufa Lindt de $0,15 e um chocolate Hershey's Kiss de $0,01 a maioria (73%) prefere o Lindt. Contudo, ao oferecê-los por $0,14 e $0,00 (free) respectivamente, a maioria (69%)passou a escolher o Hershey's. Realmente um livro bem interessante para os empreendedores lerem, já está na minha lista de leitura inclusive.

Bem, espero que continuem acompanhando nosso site, pois esperamos em breve dar notícias de novos projetos. E se você é empreendedor e tem algo a compartilhar com os outros empreendedores que ajudará no amadurecimento mais rápido das startups, não deixe de entrar em contato conosco contato@startupdiario.com.br.

Grande abraço!

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe conosco sua experiência empreendedora ou envie-nos suas dúvidas e sugestões.

Se você tem vergonha de seu comentário ou de sua idéia, por que acha que nós nos orgulharíamos em publicá-la? Então, por favor, não seja anônimo.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More